Investimentos-anjo em Santa Catarina superam R$ 4,2 M em 2019

Composta por cerca de 50 investidores-anjo, rede catarinense realizou investimentos em  cinco empresas ao longo do ano, liderados por diferentes empresários. Reunião de empresários integrantes da Rede de Investidores Anjo de Santa Catarina.

Mais uma grande conquista para o ecossistema de tecnologia e inovação de Santa Catarina: o crescimento dos investimentos-anjo em startups, seguindo a tendência de retomada do volume após a queda registrada no ano anterior. Juntas, Prevision, Bionexus, CleanCloud, Geek Hunter e Cheap2Ship somam mais de R$ 4,2 milhões em aportes recebidos para seu desenvolvimento. Os investimentos foram coordenados e contaram com a participação da Rede de Investidores-Anjo de Santa Catarina (RIA SC), projeto da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) em parceria com a Rede Anjos do Brasil.

Segundo Marcelo Cazado, líder da RIA SC, os investimentos foram conduzidos por cinco investidores-líderes diferentes — responsáveis por centralizar os contatos com os empreendedores na negociação e agregar os demais investidores ao processo —, o que evidencia o valor de união do ecossistema. “Os resultados que tivemos em 2019 mostram que o conhecimento e a tomada de decisão não estão concentrados na mão de poucas pessoas, mas que muitos dos aproximadamente 50 investidores que compõem a Rede são capacitados e podem atuar de forma autônoma”, afirma Marcelo.

Marcelo acrescenta ainda que o apoio do ecossistema é essencial para que essas startups e pequenas empresas consigam captar recursos. “Ao longo de 2019, 85% das empresas apresentadas nos Fóruns de Investimento promovidos pela RIA já haviam recebido algum tipo de apoio do ecossistema, e 63% dos empreendedores já haviam fundado uma empresa previamente, isto é,  não eram “marinheiros de primeira viagem””, finaliza.

Integração do ecossistema

As rodadas de investimento realizadas pela RIA SC em 2019 contemplaram trocas entre empresas e investidores não somente de Florianópolis, mas também de Blumenau e Itajaí, na região do Vale, de Chapecó, no Oeste catarinense, e até de São Paulo. “Eu fui líder na negociação com a CleanCloud, que é uma startup de São Paulo, e eu sou de Blumenau”, conta o investidor-anjo Cácio Packer. “A experiência de quem lidera as rodadas de investimento é essencial para reconhecer rapidamente as dores do mercado e prever um crescimento para aquele setor, entendendo assim exatamente onde precisamos investir. A migração de grande parte dos sistemas para a nuvem, ao mesmo tempo que muitas empresas no Brasil ainda não têm expertise para concretizar isso, nos mostrou o potencial da CleanCloud”, finaliza Cácio.

Follow-on: atestado de crescimento

Para algumas das empresas, o “raio” caiu duas vezes no mesmo lugar. Mas não por sorte, e sim por competência e demonstração de valor gerado. É o que os investidores-anjo chamam de follow-on, modalidade de investimento contínuo em que os aportes são feitos em parcelas conforme as entregas e o desenvolvimento das empresas. Foi o caso da startup catarinense Prevision, que recebeu a primeira rodada em fevereiro e a segunda em agosto de 2019, totalizando R$ 375 mil. “O setor da construção civil carece muito de digitalização, e como a startup trabalha com um software que tem este objetivo, percebi que era uma boa oportunidade”, afirma Fábio Ferrari, investidor-anjo líder das rodadas com a Prevision. “O crescimento da empresa durante o semestre comprovou a demanda que enxergamos ao investir, e mostrou ser necessário darmos continuidade”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui