A inovação como base para mudanças na indústria da moda foi destaque no ONDM 2019

O impacto da inovação na indústria da moda, quais os novos desafios, as transformações e as tendências do setor no país foram destaques no encerramento do ONDM 2019 (O Negócio da Moda), em Camboriú, na palestra de Delton Batista, VP da grife Acostamento.

“A inovação é uma das principais ferramentas de transformação da indústria da moda para reduzir a emissão de poluentes, a exploração humana, os maus tratos aos animais, o volume de lixo no planeta e, ainda, para o cumprimento das leis trabalhistas”. A declaração foi do VP da grife Acostamento, Delton Batista, durante o ONDM 2019. 

A convicção do empresário é baseada em pesquisas realizadas pelo Banco Mundial que apontam a moda como o segundo setor da economia mais poluente do mundo. A compra mundial de roupas aumentou 60% nos últimos 15 anos, mas a cada 10 peças fabricadas, seis vão para o lixo em menos de um ano de uso. E apenas 1% das peças usadas voltam à fábrica para se transformarem em novas roupas. 

A dificuldade em “tomar decisões oportunas e cumprir prazos” é uma realidade para 92% das empresas do setor e a maioria se considera  “lenta demais para trazer novos produtos para o mercado”. 

Por isso, a necessidade de reinventar a indústria através do uso de novas tecnologias como “impressão 3D, inteligência artificial, robotização, big data, blockchain, realidade aumentada, nano e biotecnologia”, aponta o executivo. 

O Brasil possui a cadeia têxtil mais completa do Ocidente, é a quinta maior indústria têxtil do mundo, o segundo maior produtor de jeans e autossuficiente na produção de algodão. Apenas em 2018, o país produziu cerca de 9,4 bilhões de peças. Os dados são da ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção). 

O gigante cenário apresenta desafios na mesma proporção. “Nosso objetivo é tornar a moda uma indústria sustentável, transparente, ética e democrática”, afirma Delton. “Iniciativas como o uso consciente da água, a criação de tecidos recicláveis e mecanismos para facilitar a vida do consumidor omnichannel são inovações tão importantes quanto todas as outras tecnologias”, complementa.  

Delton também utiliza o case de inovação da Acostamento no mercado, do qual enfatiza ações socioambientais, culturais, projetos de tecnologia e aproximação com startups catarinenses para o ascensão no valor da marca e o aumento de 29% nas vendas no primeiro semestre deste ano. A projeção da grife premium é de crescer 30% até o fim de 2019, enquanto a média nacional é de 3% de aumento no volume de produção e 3,5% no volume de vendas no mercado interno, segundo a ABIT.  

A Acostamento foi pioneira no país ao implantar o sistema de geolocalização de produtos e lojas mais próximas do consumidor. O serviço, implantado há algumas semanas, já é resultado do novo modelo de gestão “de fora pra dentro”. “Ouvimos os clientes e consumidores finais para essa grande mudança de cultura e mindset”, explica Delton. 

Entre as diversas ações a serem lançadas ainda neste semestre, figuram o primeiro espelho 4D do Brasil, desenvolvido junto à catarinense Audaces, que permite escolher e visualizar o produto no corpo com 99% de precisão. 

Além de se tornar referência em inovação na indústria têxtil, a Acostamento apresenta também uma série de iniciativas sociais. Entre elas, o apoio ao Ballet Bolshoi, com uniformes, alimentação e material de ensino, e a parceria com o Instituto Guga Kuerten (IGK), onde parte da renda com a venda de produtos da marca é revertida para a entidade.

No ONDM, Delton contou também quais as tendências que estão despontando para o setor, como por exemplo, os motivos do público preferir o Click and Collect, que permite a compra de produtos pela internet e a retirada, no mesmo dia, no ponto de venda. “Diminui o custo para o cliente e a necessidade de grandes estoques para as empresas”, Delton exemplifica. 

“Santa Catarina é o maior polo têxtil do país e referência em inovação. Temos toda a estrutura e potencial para acionar mudanças significativas no setor. Moda é sinônimo de inspiração, de tendência e antecipação do futuro. E ações como o ONDM, um dos principais eventos do país no segmento, é muito importante para nos apropriamos desta assinatura e aplicarmos as transformações necessárias que a indústria da moda pede”, finaliza o executivo Delton Batista. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui