Para conseguir aprovação de financiamento, o empresário precisa ter visão de futuro

Há muitos negócios esperando por aprovação de financiamento junto aos bancos públicos, assim como há muitas alternativas de linhas de crédito e recursos disponíveis para o financiamento de excelentes projetos. Diante desse cenário, é preciso saber o que é preciso para a empresa conseguir aprovação de financiamento e se está ou não no caminho para o alcance do objetivo.

No final do ano passado, segundo informações da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), o Brasil foi recorde na captação de recursos, somando R$ 346,2 bilhões.

A redução da taxa básica de juros (Selic em 4,5%) e as mudanças de políticas do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), que passou a adotar uma taxa menos subsidiada e mais próxima da praticada pelo mercado, diminuindo a oferta de empréstimos, abriu as portas para o crédito privado no Brasil, contribuindo para esse recorde de financiamentos.

De acordo com a Anbima, a maior parte do recurso captado será destinado à reestruturação de dívidas e capital de giro.

Recentemente foi anunciada a aprovação de financiamento de tecnologia e inteligência pelo BNDES. O órgão financiará R$ 28 milhões em um projeto de gestão em segurança pública na cidade de Jundiaí (SP). O apoio do BNDES corresponde a 90% do valor total do projeto de R$ 31,1 milhões, com previsão de execução de três anos.

Um detalhe importante dessa aprovação está na declaração de que esse projeto possui potencial para se tornar referência em gestão de segurança pública, o que já adianta um ponto importante de destaque nesse artigo: projetos precisam demonstrar, dentre todos os objetivos, agregar valor à sociedade e à economia do país de maneira significativa, a empresa precisa ter visão de futuro.

Mudanças fundamentais para que o negócio consiga expandir no mercado

Minha experiência no ambiente empresarial tanto como executivo, como no trabalho de consultoria à frente da T4 Consultoria, me fizeram adquirir a capacidade de enxergar os problemas das empresas em sua origem.

Para conseguir aprovação de financiamento, primeiramente, é necessário que a empresa adquira consciência sobre a sua realidade. É aquele momento em que o gestor precisa de fato encarar qualidades boas e ruins de sua empresa; enxergar os problemas e o que pode ser solucionado de prontidão; processos que poderiam ser melhorados; se há ou não capital de giro suficiente para a implementação de melhorias, etc.

Um caminho muito interessante para negócios que desejam crescer no mercado de uma maneira mais rápida, sem investimento, é a terceirização. Essa pode ser uma boa alternativa para que o gestor consiga investir em determinadas áreas de seu negócio, porém sem afetar a identidade da empresa.

O que o negócio precisa para conseguir aprovação de financiamento, em muitos casos, é de reestruturação financeira para captar recursos. Negócios com alto grau de endividamento, por exemplo, se encontram em condições para obter financiamento quando tem como objetivo o aumento da capacidade produtiva, desenvolvimento de novos produtos e inovação tecnológica, podendo chegar ao equilíbrio nas finanças voltando aos trilhos do crescimento.

O que é levado em conta para os bancos públicos e demais agentes financeiros é se a empresa possui um projeto:

  • Que seja capaz de traduzir os objetivos e a estratégia do negócio;
  • Que tenha fundamentos claros quanto ao crescimento da empresa no mercado, quanto à geração de valor;
  • Capacidade de pagamento do empréstimo;
  • Que seja atrativo para o mercado atuante e para o novo mercado que surge;
  •  Que demonstre o desejo de continuidade da operação e condições da empresa de expansão.

Sobre a terceirização de serviços

Esse é um assunto que sempre gera discussões e acho pertinente esclarecer alguns pontos em torno da terceirização de serviços.

Algumas mudanças importantes ocorreram em 2017 com a Lei da Terceirização (13.429/2017), autorizando as companhias a contratar empresas para realizarem serviços, ainda que estivessem relacionados à atividade-fim da organização.

O cuidado maior, no caso da adoção das terceirização como estratégia, é optar por uma empresa que consiga atender às expectativas de qualidade e excelência no oferecimento dos produtos/serviços. Como já mencionei, um dos principais riscos ao terceirizar serviços é afetar a identidade da empresa, seja por meio da queda na qualidade do produto final oferecido, seja na realização de qualquer outra atividade do negócio.

A terceirização precisa ser pensada de maneira estratégica, o gestor precisa ter definido qual o serviço que poderia ser terceirizado tranquilamente e o que deveria ser mantido sob a execução da própria empresa.

Optar pela terceirização em uma atitude impensada pode colocar o negócio em situação arriscada, por isso, é sempre viável que a empresa conte com um profissional capacitado para analisar as condições internas da organização e para que possa apontar as melhores alternativas.

Marcelo Viana – Diretor da T4 Consultoria, especialista em finanças empresariais. Possui experiência de mais de 20 anos em Controladoria e Administração Financeira, tendo atuado em cargos executivos em inúmeras empresas como: Carrefour, Grupo Itavema, Grupo Vigorito, etc. Graduado em Ciências Contábeis; Consultoria Gestão Empresarial-PUC; MBA Controladoria Estratégica pela Fundação Alvares Penteado – FECAP e MBA Gestão Econômica e Financeiras de Empresas-FGV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui