Entrevista Exclusiva: Sergio Roberto Cochela – CEO ProJuris

A Equipe do Portal Business entrevistou, com exclusividade, o CEO da ProJuris – Sergio Roberto Cochela, que nos contou um pouco sobre os fatores chaves que levaram ao sucesso da empresa no mercado, as expectativas de crescimento para 2020 e algumas novidades muito interessantes. Confira a entrevista:

1) A ProJuris teve um crescimento de 50% na sua receita em 2019. Quais
foram os fatores chaves para conquistar esse resultado?

Foi um conjunto de fatores, começando pelo mercado, o segmento jurídico vive uma necessidade muito grande de aumentar a produtividade dos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos. Não dá mais para gerenciar processos e contratos em planilhas. Neste cenário a ProJuris se destaca por estar preparada para esta demanda. Temos uma máquina de vendas azeitada, um produto muito competitivo e um time altamente comprometido que mescla a juventude com a experiência. Contamos com a energia e o comprometimento dos jovens e a experiência de mais de 20 anos de um grupo de executivos no desenvolvimento, vendas e entrega de software, ou seja, conhecemos os caminhos para o crescimento acelerado.

2) Quais são atualmente os principais produtos e mercados de atuação da
ProJuris? Qual a expectativa de crescimento para esse ano?

Nossa expectativa de crescimento para 2020 é de 50%. Nós atuamos em dois
mercados distintos:

1) Escritórios de advocacia de pequeno e médio porte – independente da especialização do escritório nosso software ajuda na organização e automação de atividades desses escritórios, tornando-os mais eficientes, produtivos e rentáveis.

2) Departamento jurídico de médias e grandes empresas – nós resolvemos tudo que diz respeito ao jurídico dentro de uma empresa, processos, consultivo, requisições, contratos, procurações, certidões, societário entre outros.

Nestes dois mercados ainda fazemos a integração via robôs com tribunais, diários oficiais e várias outras fontes de informação e regulação como por exemplo, Procon e ANS.

3) Num mercado muito competitivo e em constante mudança, como o mercado de tecnologia, a inovação e a criatividade são pontos chave para o sucesso das empresas. Como a ProJuris trata essas questões com a sua equipe e nos seus processos internos?

Uma empresa de tecnologia como a ProJuris tem que ter na veia a inovação e a criatividade. De todos os nossos valores o que mais exercitamos é o inconformismo, inclusive temos uma frase muito usada na empresa que é “O inconformismo nos tornará vencedores”.
Aqui não tem espaço para pessoas conformadas, se queremos ser líderes e admirados, não podemos imaginar que o que fizemos até agora é o suficiente. Nossos clientes nos cobram pró-atividade e funcionalidades que lhes tragam produtividade, e isso nos move. Nossa cultura é inovadora e inconformista por natureza.

4) Quais as principais novidades que podemos esperar da ProJuris para 2020?

Este ano nosso foco será o crescimento. Temos um mercado comprador e um time preparado, portanto, temos que aproveitar esta oportunidade. Vamos aumentar muito a satisfação de nossos clientes. Já temos grandes cases e ótimas referências, mas queremos ainda mais. Seguimos inconformados e crentes de que podemos eliminar ainda mais ineficiências do mundo jurídico. Em inovação vamos focar na evolução das nossas funcionalidades com inteligência artificial, auxiliando nossos clientes na tomada de decisão e o nosso grande projeto do ano é o desenvolvimento de um novo produto para departamentos jurídicos, focado na melhor experiência do usuário. Este produto ajudará tanto nosso objetivo de crescimento quanto de aumento de satisfação dos clientes.

5) Quais são as suas expectativas em relação ao cenário econômico no
Brasil? Podemos esperar um ambiente mais favorável esse ano?

Quem gera riqueza no Brasil e no mundo são, o empreendedor e o trabalhador, não é o governo. Estou otimista porque vejo movimentos da equipe econômica para tornar o ambiente de negócio melhor, mais simples, menos burocrático e com menos intervenção do estado. Se o estado parar de atrapalhar, já será um bom começo. O Brasil vai crescer algo em torno de 2% esse ano e um pouco mais nos próximos anos. Nós temos dois grandes desafios para crescer com altas taxas e em períodos longos, um é crescer via iniciativa privada, já vimos que crescer via investimento do governo é um voo de galinha, temos que gerar um ambiente de negócios para que os investimentos venham dos empreendedores.
Outro desafio é a baixa produtividade. Não cresceremos com taxas mais altas e de forma constante sem aumentar a produtividade, por isso são tão importante as reformas, a começar pela tributária. Veja o que está acontecendo com a ProJuris, enquanto o Brasil cresce 1%, nós crescemos 50%, porque? Por que as empresas precisam melhorar a produtividade, sem isso não tem crescimento sustentável, nem para o governo nem para as
empresas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui