Entrevista Exclusiva – Katherini Lippi – Personal Organizer

  • Como surgiu a profissão de Personal Organizer?

A profissão de Personal Organizer surgiu nos Estados Unidos em 1983 quando Bewerly Clower, Stephanie Culp, Ann Gambrell, Maxine Ordesk  e Jeanne Short iniciaram um projeto para oferecer serviços de organização em Los Angeles.

Em 1984, com o crescimento do projeto, nomearam o grupo como APO (Associação de Organizadores Profissionais). Em 1985, agora com 16 membros, formalizaram a associação, elegeram 6 membros diretores e determinaram as taxas para associados. Com o crescimento da associação a APO transformou-se em janeiro de 1986 na National Association Of Professional Organizers (NAPO). A NAPO conta hoje com cerca de 4.000 membros e é reconhecida mundialmente como uma autoridade em Profissionais em organização. No Brasil temos a ANPOP. Idealizada em 2006, mas que só teve sua edificação em 2013. Hoje conta com cerca de 300 associados.

Outras associações:

APDO >> https://www.apdo.co.uk/

POC>> https://www.organizersincanada.com/

JALO >> http://jalo.jp/archives/category/english/

AAPO>> https://www.aapo.org.au/

NBPO >> http://www.nbpo.nl/

  • Como é o processo de formação educacional para exercer essa profissão?

Qualquer pessoa que tenha vontade de fazer parte do mundo da organização e se tornar um profissional nessa área pode ingressar em cursos profissionalizantes que certifica um profissional a atuar nesse mercado.  Infelizmente como não é uma profissão regulamentada, em nenhuma parte do mundo, ainda, não podemos assinar uma carteira nem registrar uma empresa como Personal Organizer, e também por este motivo não há nenhum órgão que regulamente os cursos de formação, então não há universidades para formar Personal Organizer, os curso são livres e não se pede nenhuma formação anterior obrigatória. Sendo assim, o que faz diferenciar um bom profissional é exatamente o comprometimento em que essa pessoa exerce e encara a profissão. Ser personal organizer é muito mais que dobrar roupas e organizer closets, como a maioria pensa.  Muita gente se aventura nesse mercado idealizando que por ter habilidade em algo relacionado a profissão ou por que se considera organizado tem a falsa noção que essas qualidades por si só dão a concepção que ser Personal Organizer é simples e vão em busca do seu “passaporte” – certificado que os cursos oferecem.

  • Como está o mercado de Personal Organizer no Brasil? Existe espaço para crescimento? Quais são os principais desafios?

O mercado de Personal Organizer cresce vertiginosamente no Brasil. O fortalecimento da nossa profissão pela nossa Associação – a ANPOP. Os eventos de grande porte como a Personal Organizer Brasil que já caminha para a sua 6° edição esse ano com a POB2019 sem contar com os encontros e eventos regionais como a EPOSUL reunindo os profissionais do Sul do Brasil como também os programas de televisão que possuem assuntos abordados diretamente com o tema Organização com profissionais renomados e que atuam a alguns anos educando esse público e difundindo cada vez mais a profissão de Personal Organizer faz com que essa visibilidade seja cada vez mais positiva.

Ilimitadas são as possibilidades para o futuro. Nosso mercado nacional está apenas no início,  as fases de organizações mais comuns de encontrar nesses tempos como as de espaço, rotinas,  gerenciamento do tempo,  arquivos e documentos serão em um momento estagnada para que a fase digital venha com tudo. Os profissionais terão que se atentar para as tendências e transformações que o mundo tecnológico se impõe.

  • Quais são os principais serviços que um Personal Organizer pode oferecer?

Os Nichos do trabalho de Personal Organizer:

  • Organização de residências;
  • Organização de espaços corporativos (home office, pequenas empresas, etc);
  • Organização de mudanças;
  • Organização de idosos;
  • Orientação e treinamento de empregadas;
  • Organização de estudo;
  • Organização de pequenas recepções;
  • Organização de bebês o Baby Organizer;
  • Assessoria a expatriado
  • Quais os principais desafios atuais e planos futuros como Personal Organizer?

Eu sempre fui muito obstinada em tudo que me propus a fazer. Gosto de desafios e cada vez que supero alguns vejo que valeu a pena a escolha e percebo que estou no caminho certo. Nesse primeiro ano como Personal Organizer foram turbilhões de emoções e incertezas. Muitos questionamentos, às vezes sem um incentivo mais próximo. Muitas superações. Todas me trouxeram experiências ímpares e só mostraram a forma como gostaria de traçar meu futuro como Personal Organizer. Não fazendo apenas um trabalho ao qual me orgulharia sem um propósito maior. Retorno financeiro é imprescindível em qualquer profissão mas quero acima de tudo levar excelência e principalmente muita alegria e harmonia nos lares e ambientes para o qual prestarei meu trabalho. Quero reconhecimento da forma com que levo a minha verdade para as pessoas, isso sim é trabalhar com amor e fazer dessa profissão algo que me faça feliz.

Mais informações acesse: https://katherinilippi.com.br/

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui