Mais de 53 mil profissionais movimentam R$ 2 bilhões por ano voltados a desenvolver estratégias para melhorar a vida e a carreira de pessoas no mundo inteiro

A figura dos coaches já é bastante conhecida no mundo corporativo. Eles são treinadores preparados para fornecer aos seus clientes as ferramentas, conhecimentos e oportunidades de que necessitam para se desenvolverem, elevarem performance e acelerarem resultados naquilo que desejam. Por meio de um trabalho de análise de contexto, prestação de consultorias e acompanhamento do cliente, os coaches ajudam cada um a identificar o seu potencial e, com técnicas motivacionais e de autoconhecimento, desenvolvê-lo para alcançar seus objetivos. Uma figura bastante conhecida no sul do Brasil neste nicho é Vanessa Tobias, life coach que atua em prol do desenvolvimento pessoal de cada indivíduo nas diversas áreas que estes desejam obter melhorias.

De acordo com pesquisa realizada em 2017 pela ICF (International Coach Federation ou Federação Internacional de Coaches), já são mais de  53 mil profissionais no mundo e o mercado chega a movimentar mais de US$ 2 bilhões. A América Latina ainda está bem atrás dos Estados Unidos, lugar onde surgiu a profissão, mas ainda assim, já são mais de 4 mil coaches profissionais atuando. Segundo a consultoria PwC, esse número cresceu de 350 para 1100 coaches certificados no Brasil entre 2009 e 2012 e, nos últimos quatro anos, teve um aumento de 300%. Diversos são os motivos que podem levar as pessoas a contratarem coaches, como explica Gerson Luiz Zimmer, diretor da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) e CEO da Nion, empresa de desenvolvimento de pessoas: “muitas vezes ignoramos nossa individualidade e fazemos o que o grande grupo faz. Com o passar do tempo nos acostumamos com isso e esquecemos nossa própria individualidade. Começamos a sentir um desconforto, tristeza ou até revolta por não sabermos o que queremos e é aí que um profissional de coach pode ajudar. Usando a metodologia coaching pode auxiliar seu cliente na busca do seu propósito de vida e a agir para concretizar esses objetivos”.

Assim como a busca por formação profissional em coaching tem crescido no Brasil e no mundo, cada vez mais indivíduos e empresas têm demonstrado interesse em contratar estes profissionais.

Coaching em saúde

Ao longo do tempo, principalmente com o surgimento de rotinas cada vez mais atribuladas e profissionais estressados e cansados por conta do trabalho, surgiu a necessidade de existirem treinadores como estes focados em saúde e bem-estar. Por meio de estratégias voltadas a estimular as pessoas a encontrarem tempo para cuidarem de si mesmas e perceberem a importância disso, os coaches de saúde ajudam a cuidar da saúde e desenvolver o bem-estar.

Um desses casos é representado pela empresa de saúde digital GoGood, que oferece em seu aplicativo a especialidade de coaching de saúde. Coaches de saúde são profissionais com treinamento específico em coaching e em abordagens de mudança de comportamentos em saúde (Modelo Transteórico de Mudança, Entrevista Motivacional, Comunicação Não-Violenta, entre outras), de acordo com definição do Consórcio Internacional de Coaching em Saúde e Bem-Estar (ICHWC). “No atendimento de coaching, o foco passa a ser o indivíduo. O coach não recomenda o que o paciente tem que fazer, mas trabalha como um parceiro do paciente, traçando metas e definindo soluções em conjunto para o autocuidado dele, sempre a partir das crenças e limitações do paciente. O processo de coaching propõe um atendimento mais humanizado e de empoderamento do paciente, focando em sua educação para otimizar sua capacidade de autogestão da saúde”, explica Daniele Kallas, gestora de saúde na GoGood.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Informe seu comentário
Informe seu nome